domingo, 22 de junho de 2008

Quando a idade chega pra um cão

Leia esse texto no site:

5 comentários:

Thiago dos Reis disse...

Eu nunca choro, mas quase me emocionei lendo seu texto...

Lembrei da Tina.. personagens diferentes, sentimentos iguais.

Forza aí! É um pedacinho seu que se vai mas que deixa uma semente.. e com certeza nesse buraco que ficou nascerá algo muito lindo.

E depois vai poder lembrar dela com um sorriso...

Bem, força aí! Um beijo!

J@de disse...

Diferente do Thiago, eu choro à toa, ainda mais com um texto desses!!
Quando me dei conta que eles normalmente morrem primeiro que nós, fiquei muito tempo sem querer ter animais, mas há quatro anos tenho uma gata e há 6 meses fiquei com um dos filhotes dela.
Sei o que você está sentindo, só o tempo mesmo prá fazer a gente se acostumar...
Beijos

Georgia disse...

A Bia era esposa do Leopoldo, tenho filhotes dela, 2 machos, e o outro filho está com um amigo da gente. Quando o Leo morreu, em 2003, quase tive uma síncope...rsss...eu choro com facilidade, mas por coisas que me emocionam sim, não à toa. Mas com animais, affffhhhh....e por um animal que viveu comigo durante mais de 11 anos, não adianta. E ela só faltava falar....rsss
Mas ela estava fraquinha, eu sabia. E eu estava do lado dela, com toda a assistência que ela podia ter, não estava abandonada.
A partir do momento que você assume um ser vivo, saiba, vai assumí-lo até morrer. Foi o que eu fiz. E não me arrependo. Obrigada, gente, pela consideração. A vida é isso.

Beijos
Georgia

Nóis...Porra! disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Rafael disse...

Eu acabei me emocionando aqui com seu post,lamento pela bia.
Mas uma vez li um texto que me marcou muito e me lembro q as ultimas frases eram"...e qundo chegar ao fim chore,vc acabou de perder o mais fiel dos seus amigos!"